Ligue para nós
0800 12 74 55

DIFAL – (Diferencial de Alíquota do ICMS) e FCP – (Fundo de Combate a Pobreza)

Home Fóruns SSVendas DIFAL – (Diferencial de Alíquota do ICMS) e FCP – (Fundo de Combate a Pobreza)

Este tópico contém resposta, possui 1 voz e foi atualizado pela última vez por  Damaris dos Santos 1 ano, 7 mes atrás.

Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Autor
    Posts
  • #4671

    DIFAL – (Diferencial de Alíquota do ICMS) e FCP – (Fundo de Combate a Pobreza)

    O diferencial de alíquota ou popularmente conhecido como DIFAL, é uma obrigação já conhecida de longa data pelos contabilistas nas operações interestaduais para consumidor final contribuinte. O convênio ICMS 93/2015 introduz uma novidade: a aplicação do DIFAL para operações interestaduais para consumidor final não contribuinte.

    Entenda como funciona o DIFAL, como calculá-lo e na prática o que mudará na sua NF-e.

    O que é o DIFAL?

    DIFAL ou Diferencial de Alíquota do ICMS é um instrumento usado para proteger a competitividade do estado onde o comprador reside.

    Digamos que no seu estado uma determinada mercadoria é mais cara que em outro estado, pois o ICMS deste outro estado é mais baixo. Naturalmente você tenderá a comprar deste outro estado. O DIFAL tenta equilibrar justamente este cenário.

    Como o ICMS era, até então, recolhido para o estado no qual o vendedor está sediado, as compras pela Internet ou por telefone se tornaram motivo de disputa entre os estados.

    Isso por que a maior parte dos e-commerces estão sediados nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo, prejudicando a arrecadação dos demais estados.

    A Emenda Constitucional número 87/2015, regulamentada pelo convênio ICMS 93/2015 vem para tentar corrigir esta distorção, fazendo com que o estado onde o comprador reside receba parte do ICMS da transação, ou seja, a diferença entre o ICMS cobrado pelo estado do comprador e o ICMS que supostamente seria cobrado pelo estado do vendedor, caso a mercadoria fosse comprada no mesmo.

     

    Tabela da Partilha do Diferencial de Alíquotas

    Difal1

    OBSERVAÇÃO:

    Para que o cálculo seja realizado, a Inscrição Estadual do Destinatário deverá estar vazio (em branco), e na tela de emissão da NFe o campo consumidor final deverá estar SIM

    .

    No sistema será necessário que haja um produto cadastrado

    .

    Difal2

    .

    Também deverá ser cadastrada informações por estado para o produto, informando o Estado, CFOP, alíquota interna e o percentual do Fundo de Combate a Pobreza

    .

    Difal3

    .

    A tabela abaixo mostra as alíquotas internas do ICMS (alíquota em preto) e as alíquotas interestaduais (necessário achar o estado de origem e estado de Destino e verificar qual a alíquota apontada)

    A tabela apresentada nesse exemplo pode estar desatualizada, por esse motivo, sempre consulte a tabela atual.

    .

    Difal4

    .

    Exemplo de Cálculo do DIFAL (Diferencial de Alíquota) e do FCP (Fundo de Combate a Pobreza)

    Difal5

    .

    difal6

    .

    Dica: Para que o valor do IPI integre a base de cálculo do ICMS é necessário que no cadastro do CFOP esteja selecionada a opção ICMS sobre IPI

    .

    Difal7

    .

    Passo 1 (No sistema)

    .

    Depois de cadastrada a Nota fiscal, o sistema calculará o Valor do ICMS de acordo com a alíquota cadastrada

    .

    Difal8

    .

    Difal9

    .

    Passo 2 – (No sistema)

    Cálculo do Fundo de Combate a Pobreza

    .

    Difal10

    .

    Difal11

    Passo 3 – (No sistema)

    Cálculo do Diferencial de Alíquota

    .

    Difal12

    .

    difal15

    Passo 4 – (No sistema)

    Parte que compete a MG – estado de destino

    .

    Difal16

    .

    Difal17

    .

    No Sistema

    Valores referente ao FCP – Fundo de Combate a Pobreza

    .

    difal18

    .

    Os valores calculados deverão estar impressos no campo Dados Adicionais/Valores Complementares da DANFe

    .

    .

    OBSERVAÇÃO:

    Para as Notas Fiscais que tenham Redução na Base de Cálculo do ICMS, o Sistema calculará separadamente o DIFAL da origem e o DIFAL do destino.

    Cálculo da Redução na Base do ICMS =  (Base de Cálculo do Destino * % da Redução na base de cálculo do ICMS / 100) * 2

    ICMS de Origem = (Base de Cálculo de origem – Valor da  Redução do ICMS) * (Alíquota Interna/100)*2

    ICMS de Destino = (Base de Cálculo do Destino – Valor da Redução do ICMS) * (Alíquota Interna/100) * 2

    DIFAL = (ICMS de Destino – ICMS de Origem)

    Em seguida o Sistema aplicará o valor do DIFAL na Tabela Transitória de Partilha (apurando, desta forma o DIFAL de destino e origem)

     

Visualizando 1 post (de 1 do total)

Você deve fazer login para responder a este tópico.